Mario Brandão é dono de uma lan house e líder do setor. Aqui, sua receita de como se informa no dia a dia.

Sou assinante de um jornal impresso que deixa todos os dias um exemplar na minha porta. Embora eu tenha acesso ao mesmo conteúdo no celular, a experiência tátil de leitura e o hábito, do qual meus filhos não participam, ainda me faz ter o débito da assinatura mês a mês.

Mas esse é um dos poucos resquícios da minha forma tradicional de informação, e de maneira geral, o dia parece  que não começa enquanto não vejo as atualizações das minhas redes sociais, e-mails, twiter e alguns poucos mas muito selecionados blog e clippings direcionados para minhas áreas de interesse.

Então passo para a terceira etapa, me conecto no Skype, msn, e demais aplicativos de mensagens instantâneas, e passo a saber dos amigos e colegas das coisas que não são publicadas, e das informações filtradas pelo substrato de cada um, coleto as impressões sobre as noticias por outros que me dão uma nuance ainda mais interessante que as noticias em sí, que é como as noticias são interpretadas e absorvidas pelas pessoas. E nesse ponto surge algo muito curioso e interessante, a mesma noticia, lida através do mesmo canal por pessoas diferentes, geram percepções absurdamente diferentes.

Finalmente, vejo saldo de conta corrente, aplicações e ações, e vejo minhas informações pessoais.

Nesse momento o dia começa, verifico minha agenda e me ponho a produzir.