CONFINS

O tempo social é influenciado pela linguagem que restringe e fixa conceitos prévios e modos de pensar – uma defesa do tempo, Harold Innis

Tag: newspaper

Num infográfico, o resumo do State of the Media

a redução de poder de reportagem da tradicional indústria da informação vem diminuindo sua capacidade de produzir um jornalismo sério e consistente. consequência: perda de credibilidade junto ao público, ao mesmo tempo que abre caminho para novas vozes no setor. muitas delas, puro aventureirismo.

 

Os norte-americanos estão mais distantes das notícias

See on Scoop.itJournalism and the WEB

Rodrigo Mesquita‘s insight:

state fo the media 2013: a queda da amplitude e qualidade de cobertura jornalistica das tradicionais empresas de informação, que não foi complementada pela ação dos puros players, vem afastando os norte-americanos das notícias.

que consequências este processo terá para a democracia e economia de mercado?

“Notícias não mudam o mundo, mas nos dão uma nova inteligência e as ferramentas com as quais explorá-la – uma fonte de modelos compartilhados a respeito do mundo. Notícias não nos dizem o que pensar ou para onde ir, mas nos ajudam a navegar. Notícias abrem a porta para participação.”

“Organizações jornalísticas devem continuar a fornecer notícias para indivíduos e conhecimento enciclopédico sobre suas comunidades. Mas também devem reconhecer o papel dos consumidores como produtores. O futuro do setor é tanto de construção quanto de consumo. O impacto de “ser digital” é a emergência de uma nova relação entre editores e seu público: tornar as notícias mais relevantes ao construir conexões entre fornecedores de notícias e consumidores.”

Walter Bender

See on stateofthemedia.org

New York Times Company coloca a venda o Boston Globe

See on Scoop.itJournalism and the WEB

US newspaper print ad revenues are expected to drop to $16.4bn in 2016 from $19.14bn in 2012. Digital revenues, which include all digital platforms, will edge up to $4bn from $3.4bn, according to eMarketer.

O Boston Globe foi comprado por pouco mais de U$ 1 bi no início da bolha fa internet. Hoje, estima-se que dificilmente ele será vendido por mais do U$175 milhões.
See on m.guardian.co.uk

Todas as empresas fazem parte da indústria da informação

See on Scoop.itJournalism and the WEB

The Obama administration has shown what is possible when a government becomes a media entity in its own right. But is that good or bad for a free press and for society in general?

Rodrigo Mesquita‘s insight:

empresas de qualqur setor, governos, forças armadas, somos todos empresas de mídia. isso é bom para a democracia?

See on paidcontent.org

O último ombudsman do Washington Post

See on Scoop.itJournalism and the WEB

The case for a readers’ representative.

Rodrigo Mesquita‘s insight:

But I think the tea leaves are clear. For cost-cutting reasons, for modern media-technology reasons and because The Post, like other news organizations, is financially weaker and hence even more sensitive to criticism, my bet is that this position will disappear.

See on www.washingtonpost.com

Financial Times editor Lionel Barber: ‘News now is not the newspaper’

See on Scoop.itDay by Day

os impactos da digitalizaçao num jornal de nicho global. um jornal que desde o início da internet fechou seu site para assinates, desenvolveu um dos melhores aplicativos para celulares e atua em cima de um segmento, o que lhe dá grandes vantagens sobre os jornais genéricos. em 2012, o FT anunciou  que pela primeira vez em sua história as assinaturas digitais ultrapassaram as da versão impressa. apesar disso, como em todos os jornais do mundo, receitas e resultados vem caindo. o FT anuncia também cortes de pessoal na sua estrutura digital, o fim de versões para mercados específicos e a diminuição da atualização das notícias na versão digital.
See on m.guardian.co.uk

Porque os nativos digitais odeiam os jornais

See on Scoop.itJournalism and the WEB

Dubbing digital natives the “asset-light” generations, Meeker notes that young people don’t want to own CDs, haul around books, buy cars, carry cash, do their own chores, or be committed to a full-time job. Instead, they use their smartphones to buy, borrow, or steal media; rent shared cars at home and book shared rooms when they travel; hire people to buy groceries or cut the grass; and use apps from Starbucks and Target to pay for lattes and redeem coupons. Many of the digital natives even prefer short-term gigs that allow them to arrange their work around their life, rather than arrange their life around their work.

Meeker believes the digital generations will change everything from the travel and credit card industries to the way health care and education are consumed.

The newspaper industry already has been profoundly disrupted. The only remaining question is what publishers will do about it.

Rodrigo Mesquita‘s insight:

as especulação são as mais diversas, mas nunca chegam próximas do que foi o papel histórico dos jornais: servir de plataforma de articulação das comunidades em que estavam inseridas para que elas pudessem fazer valer seus interesses junto às fontes de poder de uma forma geral.

No Brasil, o jornalista Júlio Mesquita inseriu esta idéia no mercaod no início do século passado. Depois de uma profunda reforma editorial no jornal, proibiu a assinatura, a dele inclusive, em qualquer matéria. Argumetava que o jornal não era dele nem dos jornalistas, mas do público. A missão do jornal era levantar e botar em discussão as questões que preocupavama a comunidade em que estava inserido. No fim da vida, dizia: “Jamais ousei imaginar que tinha o direito ou o dever de formar a opnião pública do meu Estado. Tudo o que fiz na vida foi sondar a opinião pública e me deixar levar pela corrente que me parecia mais acertada”.

Enquanto os centros de think thank sobre o setor nos estados Unidos consideram os jornais a indústria de notícias, news print, Walter Bender, que dirigiu o programa News in The Future nos anos 90 no MIT – Media Lab e depois foi diretor geral deste laboratório das novas tecnologia, dizia:

“Organizações jornalísticas devem continuar a fornecer notícias para indivíduos e conhecimento enciclopédico sobre suas comunidades. Mas também devem reconhecer o papel dos consumidores como produtores. O futuro do setor é tanto de construção quanto de consumo. O impacto de “ser digital” é a emergência de uma nova relação entre editores e seu público: tornar as notícias mais relevantes ao construir conexões entre fornecedores de notícias e consumidores”.

“Notícias não mudam o mundo, mas nos dão uma nova inteligência e as ferramentas com as quais explorá-la – uma fonte de modelos compartilhados a respeito do mundo. Notícias não nos dizem o que pensar ou para onde ir, mas nos ajudam a navegar. Notícias abrem a porta para participação”.

 

 

See on www.editorandpublisher.com

Há futuro para os jornais impressos

See on Scoop.itJournalism and the WEB
“The direction of travel is clearly toward ‘new’ media, but ‘old’ media are still very much with us and do not appear to be about to disappear wholesale.”

As this year begins, three notable reports share the same conclusion about the future of news: The path we are on is uncertain and debatable. But two of the three studies now see an extended economic shelf life for print, even as audiences swing digital and the search for viable digital news products continues.

Exhibit A: Earl Wilkinson, the globe-trotting executive director of the International News Media Association. A year ago, his speeches and annual summary report were focused on the difficulty of culture change at newspaper organizations and the need for faster digital innovation.This year’s outlook report, published in December, was subtitled “The Print + Digital Dynamic.
See on www.poynter.org

Journalism & Social Media

See on Scoop.itJournalism and the WEB

– Todos, o tempo todo, trabalham na minha redação!

– Somos o Noé do novo século

– Não procuro informações e notícias, elas vêm até mim

– Os jornais e outras praças cívicas

– Uma análise do fracasso dos jornais nas mídias sociais

– Um dia nas principais conexões do Sílvio Meira

– Citizen journalism, Instagram, and #Sandy

– Election Disruption: Digital Citizens and Mass Media

– Juan Antonio Giner, nas trincheiras do jornalismo digital

– President Obama’s Re-Election: How the News Media Around the Globe Covered It

– How media companies can think more like startups

– With Sandy, Instagram gaining on Twitter for citizen journalism

– Reconstruir la Democracia con esperanza. Entrevista de Manuel Castells

– Hurricane coverage

– Power to the People

 

searching, investigating and opening trails…

trails: staza, stazama (traje): lasts
See on www.scoop.it

Desenvolvido por SELVA/LAB