Bob Wollheim é empreendedor, como todos que atuam de forma estruturada na internet, na rede, na nova infraestrutura de informação, comunicação e articulação da sociedade. E de negócios também. Ele é o pai do youPix, o maior Festival de Cultura de Internet do Brasil e da Appies.  Venture Corp da Endeavor e autor do livro Empreender não é brincadeira! (Elsevier).

Bob é mais um que não busca informação, “ela está em toda a parte, o tempo toodo”. Sabe fazê-la chegar até ele. É o que conta neste depoimento para o Confins, publicado logo abaixo do vídeo Evolution of Dance, viral que fez história, do Judson Laipply, uma das atrações do youPix Rio, que acontece nos próximos dias 10 e 11 de dezembro, no Rio de Janeiro, com uma programação fantástica. Lá, Rio, no youPix Festival, ninguém falará sobre a encruzilhada do futuro do presente. Eles cruzaram este pedaço do caminho sem nenhum laço com o passado.

O meu processo de busca de informação se transformou profundamente nos anos digitais, a começar pelo fato de que uma boa parte não é mais busca de informação, mas a informação chegando até mim.

O Twitter é meu principal radar nesse sentido, seguidos pelos alertas do Google. O Facebook para mim virou um mar de autoajuda, frases e imagens de efeito e me parece muito pouco útil. Estou por ali, mas mais para me manter a par da vida cotidiana das pessoas, fofoquinhas, historinhas, etc.

Os amigos via DM e e-mail são uma fonte muito importante.

Ainda assino a FSP e passo os olhos por ela pela manhã mas, confesso, cada vez mais focado nas colunas e articulistas e cada vez menos em todo o resto… nos domingos compro o Estadão que, diga-se, está muito mais analítico e menos factual. Fora isso, uma Veja ou uma Época de vez em quando, só para ver o que o velho mainstream está pensando… ;-) Passo os olhos pelas homes do UOL, Terra, iG e G1 só para saber se há algo que eu deva saber… mas em 99% das vezes só vejo bizarrias tipo essa no Terra “Sharapova aparece com chapéu e “enlouquece” Marcelo Tas”.

No mais, entendo que a informação está em toda parte, o tempo todo, e não reconheço mais nenhum meio ou veículo específico como A minha fonte. Funciono hoje como um radar e, mais importante, validando tudo o tempo todo.